dezembro 23, 2009

Já é natal? Nem me parece!

Às custas de tantos jantares de Natal que temos tido nestes últimos dias, lá me vou recordando que estamos outra vez no Natal.
Pois, que não é novidade para ninguém que o tempo voa e as coisas acontecem à velocidade da luz.
Em jeito de desabafo, quem me conheçe, sabe que esta época para mim pouco ou nada me diz. Sempre foi assim.
Acho que nesta altura as pessoas ficam tresloucadas, o trânsito insuportável, as filas mesmo para almoçar triplicam, e as prateleiras no supermercado ficam vazias.
É um tremendo disparate as fortunas que se gastam em presentes de natal, muitas das vezes para pessoas, que passamos um ano inteiro sem as ver, sem dar um telefonema, ou mesmo enviar um pequeno email.
O consumismo fica ao rubro e as pessoas ficam (na minha opinião claro) ainda mais mal-educadas e atropelam-nos, passam à nossa frente, virão verdadeiros monstros de sete cabeças para disputar um lugar no estacionamento... ufa, por estas e outras razões, eu não gosto do natal.

E este ano pela primeira vez, na minha casa, fizemos uma árvore de natal. Por sinal linda de morrer e muito à nossa maneira.
Este ano pela primeira vez, comprei presentes só para as crinças e aqueles amigos que estão comigo todos os dias, seja em pensamento, seja no coração.
Este ano pela primeira vez, não passo o natal com os meus pais.
Este ano pela primeira vez, acredito que o natal terá outro significado.
Este ano pela primeira vez, acho que vou daqui para a frente, começar a gostar (um bocadinho mais) do natal.
Este ano pela primeira vez, vou ter um natal como sempre quis. Não é no estrangeiro e só com o J.como inicialmente idealizei (pois não consegui tirar férias) mas vai ser passado entre amigos e num ambiente onde o que só interessa é a união, a amizade, os valores das pessoas e o aconchego do lar... longe de cinismos, falsas felicidades, consumismo exacerbado, longe de valores puramente materiais e acima de tudo com muito amor.

Este ano pela primeira vez, vamos comemorar o natal, como queremos sem obrigações,pois será o nosso último natal só a dois...

1 comentário:

marta disse...

Eu gosto Muito do Natal e gosto de tudo, até da confusão. Gosto dos doces, de estar com a família de todos os dias e com aquela que nem sempre vemos, os amigos especiais e todos aqueles que gostamos.Gosto porque gosto. Muitos beijinhos e um Santo Natal com muito amor, que é o mais importante. O amor gera amor e 'só por amor' tudo é possível.
Martini