setembro 07, 2015

De autor desconhecido, mas a registar.

"Não deixe suas panelas brilharem mais do que você!!!!
Não leve a faxina ou o trabalho tão a sério!

Pense que a camada de pó vai proteger a madeira que está por baixo dela!
Uma casa só vai virar um lar quando você for capaz de escrever “Eu te amo” sobre os móveis!
Antigamente eu gastava no mínimo 8 horas por semana para manter tudo bem limpo, caso “alguém aparecesse para visitar” – mas depois descobri que ninguém passa “por acaso” para visitar – todos estão muito ocupados passeando, se divertindo e aproveitando a vida!
E agora, se alguém aparecer de repente?
Não tenho que explicar a situação da minha casa a ninguém…
…as pessoas não estão interessadas em saber o que eu fiquei fazendo o dia todo enquanto elas passeavam, se divertiam e aproveitavam a vida…
Caso você ainda não tenha percebido: A VIDA É CURTA… APROVEITE-A!!!

Tire o pó… se precisar…

Mas não seria melhor pintar um quadro ou escrever uma carta, dar um passeio ou visitar um amigo, assar um bolo e lamber a colher suja de massa, plantar e regar umas sementinhas?
Pese muito bem a diferença entre QUERER e PRECISAR !

Tire o pó… se precisar…
Mas você não terá muito tempo livre…
Para beber champanhe, nadar na praia (ou na piscina), escalar montanhas, brincar com os cachorros, ouvir música e ler livros, cultivar os amigos e aproveitar a vida!!!

Tire o pó… se precisar…

Mas a vida continua lá fora, o sol iluminando os olhos, o vento agitando os cabelos, um floco de neve, as gotas da chuva caindo mansamente….
- Pense bem, este dia não voltará jamais!!!

Tire o pó… se precisar…

mas não se esqueça que você vai envelhecer e muita coisa não será mais tão fácil de fazer como agora…
E quando você partir, como todos nós partiremos um dia, também vai virar pó!!!
Ninguém vai se lembrar de quantas contas você pagou, nem de sua casa tão limpinha, mas vão se lembrar de sua amizade, de sua alegria e do que você ensinou.

AFINAL:

“Não é o que você juntou, e sim o que você espalhou que reflete como você viveu a sua vida.”

(Autor desconhecido )"

setembro 03, 2015

"Não faças planos para a Vida, para não estragares os planos que a Vida tem para ti."

13 Agosto 2015. Fui internada sem me aperceber bem da gravidade da minha doença, estava anestesiada pela dor, pelo número de médicos e enfermeiros à minha volta, pelo aparato, pela surpresa e por pensar que apenas era mais uma enxaqueca. Para quê tanta coisa?

13 dias de internamento- uma semana em isolamento, depois os outros dias acompanhada por uma senhora querida que me ajudou a passar as horas que teimavam em não avançar.

Amanhã deveria ir de férias. 

Amanhã iria para o sítio de sempre, iria rever amigos como faço todos os anos, iria para a praia, iria ter tempo para os meus filhos. Para mim, para desligar da rotina e me preparar para o próximo ano (o meu ano começa em Setembro com as férias)

Amanhã não vou a lado nenhum, vou ficar por casa entre a cama e o sofá, o mais deitada possível e o tempo que conseguir. 

Amanhã não estou em condições de fazer uma viagem, de ir de férias, nem de fazer o que tinha planeado.

Amanhã espero saber tirar o sentido disto tudo e saber o que a Vida me quis ensinar.

Amanhã, tal como todos os dias, vou agradecer à Vida, por me ter dado mais uma oportunidade e por isto não ter passado de um grande susto. 

Amanhã vou pedir paciência e uma recuperação rápida. 

Amanhã tudo estará no mesmo sítio e os planos da Vida estarão delineados para mim.

agosto 20, 2015

Temos a sensação que o mundo anda à nossa volta. São as rotinas, os miúdos, o trabalho, a roupa para enviar para a lavandaria, o carro que furou um pneu, o jantar, as contas para pagar no multibanco, a família, os amigos e essa coisa do que fazemos com o tempo. 
Achamos que somos um pião e não fazemos mais que andar à rota e a tentar tapar todos os buracos da nossa to do list. 
Experimentem fazer um exercício. Visualizem-se como um pião com tudo o que têm a fazer num dia à vossa volta. Agora subam, fixem a imagem e sejam um balão, vejam de cima e o que acontece? Tudo, garanto-vos, tudo fica no mesmíssimo sítio a girar ao seu ritmo. 
Pergunto agora eu, afinal de contas quem anda à volta de quem? 
Estejamos lá ou não, o mundo não pára. Os minutos passam, as horas somam-se e mais um dia passa. Com ou sem ti. Esta é a realidade. 

agosto 19, 2015

Tempo. Não é mais do que fazemos dele. Importante ou não. Nós decidimos. Rápido, fulcral, fugaz, todo o do mundo. Tempo. A única certeza que temos. Passa, depressa, devagar, com ou sem sentido. Tempo. A única certeza: esgotável. Finito. 
Igual para todos, não volta atrás seja ele aproveitado ou não. 

agosto 17, 2015

Depois de 6 dias de grande incerteza e sem saber o que me reservava, a Vida voltou a sorrir-me com uma excelente notícia trazida pela minha médica. Veio aos pulinhos dizer-me encantada que os resultados  do laboratório foram todos negativos! 
Quarentena levantada, portas abertas e não mais proteções.

A meningite que apanhei foi bacteriana, felizmente detectada no seu início e a isso o meu grande obrigada a toda a equipa médica do HPP do hospital de Cascais, que desde o primeiro minuto não me deixaram desamparada.  

Agora apenas medidas preventivas e mais uns dias de internamento para concluir o ciclo de tratamento.

O meu pânico foi em relação aos miúdos que, depois da punção lombar, ouvir a palavra meningite, sem saber bem como isto me tinha acontecido a mim, mais se poderia ter passado eu aqueles que mais  amo.
Felizmente tudo correu bem e aqui estou eu mais uma vez grata à Vida, por tudo. 

Posso estar  a ser repetitiva mas, neste momento não há muitas mais palavras que possa dizer entre a cama e o cadeirão azul do meu quarto privativo com vista mar. 
A não ser que estou a morrer de saudades dos meus filhos e que não sabia até aqui, que podia sobreviver tanto tempo longe deles, viva a tecnologia que ajuda imenso nestes tempos difíceis.

Respiro de alívio, vejo as coisas por outros olhos, sei que sou abençoada e que ainda tenho muito pela frente!



agosto 15, 2015

Há algumas frases que são lemas na minha Vida. Acredito nelas e sei que por muitas voltas que dê, elas prevalecem, mostram-me que, por muitas escolhas que faça a Vida me dá tudo o que pedi.
Uma dessas frases é aquela que diz: " cuidado com o que realmente desejas e pedes pois a Vida dá". Mais cedo ou mais tarde dá, sempre. 
Pode no entanto, não ser bem da maneira que pedi mas, nunca deixou de me dar. 
Falo concretamente de uma pausa, precisava de parar, ter tempo para mim, precisava de decidir o que realmente quero, preciso e desejo para a minha Vida. Eu acho que já sei isto tudo mas, queria o tempo, aquele tempo para mim, para poder pensar, estar comigo e fazer um reset à minha cabeça. 
A Vida deu-me por uns dias a pausa que há tanto desejava. Não foi da maneira que sonhei mas, não houve outra e eu aceito esta como uma nova oportunidade, como o tempo exacto e necessário para fazer a limpeza interior que tanto quis!
A Vida deu-me a pausa acompanhada de um grande susto e eu acredito que isto também não foi por acaso, foi para me forçar a abrir os olhos e a agradecer ainda mais o que tenho de bom na minha Vida! 
Na madrugada de 12 Agosto pensei que ia perder tudo mas, aqui estou eu para agarrar com unhas e dentes a minha Vida e tudo e todos ( os filhos, marido, família e amigos que realmente importam) que fazem dela a melhor do meu mundo possível. 


julho 14, 2015

5

Hoje foi o teu dia. Viste os golfinhos. Conduziste o barco. Brincaste na praia e de tão exausto, ficou por abrir o bolo das tartarugas Ninja. Está ali à tua espera. Os parabéns podem ser cantados amanhã ao pequeno almoço, porque meu querido e doce filho, terás muitos mais aniversários pela Vida e eu espero poder proporcionar-te dias tão intensos e felizes como o de hoje. Sempre. Hoje foi o teu dia. 5. E já enches uma mãe cheia. 

Amo-te muito meu Amor maior.

maio 15, 2015

maio 13, 2015

[Manel e Luisinha - Maio 2015]

Que sejam sempre assim. Unidos.

abril 22, 2015


Há pessoas que acreditam num Deus, num Santo, no Alá, em Jeová, numa crença, na Vida, no Amor, Nelas, ou há até mesmo quem não acredite em nada.

Eu acredito nas energias, na lei da atracção, na Vida, em mim e nas minhas crenças (que nada têm a ver com religião).

Acredito que a nossa atitude perante os factos, influência o que a Vida nos devolve.

Pode ser uma parvoíce, pode ser que discordem completamente, pode ser mesmo e apenas uma maneira de eu ver as coisas, mas esta é a minha maneira de sentir

abril 19, 2015

Sugestão de fim-de-semana

Museu da Electicidade - Lisboa

[Manel- no Museu da Electricidade - Abril 2015]

abril 18, 2015

abril 17, 2015

À minha querida amiga A.

Hoje é o Teu dia.
O dia de início de um novo ano.
O dia em que a Vida te dá mais um ano para fazeres acontecer.
O dia em que começa uma nova etapa.
Eu espero que este dia te traga te traga o que mais desejas, que te encha o coração de amor e a alma de paz e serenidade.
Dizer que te adoro é pouco e o tempo que passamos juntas, não faz justiça a isso.
Prometemos, todos os anos, que iremos melhorar esta lacuna, mas a Vida, os filhos, o trabalho e blá blá não o permitem, mas em nada, retira o carinho que sinto por ti.
Que este dia seja fantástico e que os outros a seguir também.
Nós estaremos sempre, contigo.

MUITOS PARABÉNS!!!



abril 13, 2015

Dia do Beijo

[imagem: A felicidade em Papel]

abril 10, 2015

Bom dia Alegria!


É impressão minha, ou a cada semana que passa os dias acabam cada vez mais rápido?
Por aqui está a ser de louco, o tempo não dá para nada, a não ser ir trabalhar, fazer jantar, tratar dos miúdos e dormir.

março 29, 2015

Luisinha e os patos

[Luisinha - Março 2015]

março 28, 2015

71

Hoje é o dia da minha mãe. 71.

A minha mãe é despachada, divertida, fala alto, ri alto,é desenrascada, destemida, valente. Corajosa. Não se queixa com nada. Está sempre bem quando lhe perguntam. Conta anedotas sem fim, tem sempre uma para cada ocasião. Aguenta a dor como ninguém, não é piegas, nem chorona. Adora novelas, sempre adorou. Vê filmes até madrugada. Cose, costura e faz crochet. 

Não dispensa tomar o pequeno-almoço fora, todos os dias. Religiosamente no mesmo sitio, com umas quantas amigas. Depois vai às compras para a casa, para o almoço. Todos os dias o mesmo. 
Anda a pé imenso, mesmo a chover não quer boleia. Anda depressa muito depressa. Lembro-me de ser pequenina e para a acompanhar tinha de ir a correr.

Sai orgulhosa com a minha Luisinha no carrinho e vai ao café "mostrá-la às amigas".
Adora levar o Manel também porque dá-lhe conversa e fica maravilhada com as coisas que o miudo diz, mas este prefere ficar com o avô, no jardim ou a jogar à bola no campo!

Criou 4 filhos e outros tantos sobrinhos, no tempo em que os pais iam trabalhar, deixavam os filhos e vinham vê-los ao fim-de-semana. Não por prazer, mas por não haver opção.

Só quando o meu primo P casou, tinha eu na altura uns 5 anos, tive a noção que ele não era na realidade meu irmão. Nas minhas lembranças, ele esteve sempre lá por casa. partilhava o quarto dos meus irmãos, fazia todas as refeições connosco e sempre foi tratado por igual. Só quando saiu, percebi.

Durante a minha vida já tive tantos arrufos com ela.
Já chocámos tanto que fez faísca.
Já teve imensas atitudes que me deixou de rastos, triste e desorientada. Ambas sabemos os motivos, mas não lhe atiro todas as culpas.
Tenho um feitio especial. Ela também.

O que passou, passou.
Com a idade melhorou, refreou. Eu também.
Desde que fui mãe, comecei a ver as coisas de maneira diferente, talvez a aceitar mais, ou a ter mais paciência.

Hoje é o dia da minha mãe. 71.

E não vou falar de mim, de nós.

Quero agradecer-lhe tudo  que tive, tenho e o que sou.
Quero agradecer-lhe a maneira como trata os meus filhos. A paciência que tem para eles. Se for preciso rebola no chão já tive de a chamar à atenção, senão o Manel faz dela o que quer.

Adoro o que cozinha, sinto saudades da sua comida.
Ligo, peço as receitas e tento replicar, mas nada tem o mesmo sabor.
Vibra com isso, liga a dar receitas, escreve-as em guardanapos e dá-me sempre a incentivar a fazer. 

Aos Domingos quando volto para casa, manda-me a sopa feita, bem passadinha para os meninos, frutas e legumes em caixas, almoço e jantar que dá quase para uma semana. 
Por vezes manda um bolo, arroz doce ou aquela gulodice que adoro e que nunca faço em casa.

Manda amendoins em sacos, gomas e rebuçados, ovos kinder e mais não deixo, senão qualquer dia tenho um puto diabético e obeso!

Se tenho uma baínha para fazer, umas calças para remendar, um bibe do colégio descosido, um botão para pregar. A minha mãe arranja. 

Preocupa-se com os meus amigos. Todas as minhas amigas a adoravam, falavam sempre com ela como se fosse uma amiga e não a minha mãe. 
Sempre foi a minha cúmplice em muitas coisas. Sempre soube de todos os meus namoricos e sempre me incentivou a fazer o que me faz feliz. 

Deu-me mais do que eu pedia e menos do que tantas vezes necessitava.

Não é perfeita, mas é a minha.

Muitos parabéns mãezinha, gosto muito, muito de ti, mesmo que nunca te tenha dito muitas vezes não sei porque foi sempre mais fácil dizê-lo ao pai...

março 27, 2015

78

É isto, o meu paizinho hoje faz 78 anos.

Vamos jantar com ele.
Apesar de pensar que só vamos amanhã. Amanhã é o dia da minha mãe.

Por isso, apesar de já muito cansada, ontem pouco antes da meia noite, ainda fiz um bolinho para lhe cantarmos os Parabéns, hoje. Por é hoje o seu dia.



78 já são imensos.
Não quero pensar muito nisto. Pois, desejo sempre que faça mais um. Um de cada vez. Chega :)
Porque 78 já são imensos e no fim das contas nem são assim tantos.

O meu pai sempre foi uma pessoa ocupada. Trabalhou sempre, até há cerca de 2 anos. Depois ia lá só controlar. Fechou o negócio em definitivo no mês passado. Vendeu tudo abruptamente. Ficámos todos chocados. Nunca pensámos que o faria, muito menos assim, desta maneira.
Ninguém se meteu, ninguém disse nada. Inclusive a minha mãe, que tem sempre a última palavra.
Foi a decisão dele, disse ela. Nós aceitámos, apesar de não concordarmos.

Nunca pensei ver o meu pai tão parado. Era super activo. Agora vê novelas! coisa que toda a sua vida criticou. Passa o tempo em casa. Sai apenas de manhã, vai arranjar o jardim, passei de trás para a frente e fala com os velhos, como chama aos amigos, tão velhos ou mais novos que ele.

Almoça religiosamente ao meio dia. Sempre foi assim.
Os almoços de Domingo sempre foram um stress, aguentá-lo até às 13h era um suplicio. Agora que tenho dois e moro longe, já esperou até às 14.30h sem protestar. 

Detesto vê-lo parado. Pouco sai depois de almoço.
As únicas ocupações e saídas para longe, só quando vai ao médico, quando tem alguma coisa importante a tratar, que não possa ser a minha mãe a fazê-lo.

O meu pai, era a última pessoa que eu pensava, que estar sem fazer nada lhe mexesse com o intimo. Mas não, enganei-me.

Continua desenrascado, sem problemas de fazer o que quer que seja.
Das duas vezes que a minha mãe foi operada aos joelhos, nunca quis vir para minha casa, ou para a da minha irmã. 
Ele foi ao supermercado, preparou almoço e jantar, arrumou a casa e tratou dele.

Digo-lhe para ir andar, para apanhar sol e ar. Mas não. Apenas de manhã. 
Levanta-se todos os dias às 6h (e sempre lhe pergunto que compromissos tem. Responde: tenho comigo), toma o pequeno-almoço, vai à rua um bocadinho, volta para casa, almoça e só.

E isto está a afectar-lhe a cabeça. Está teimoso, mais que nunca. Não consegue saber nem resolver nada. Passa tudo à minha mãe.

Mas há uma coisa em que ainda é capaz em pleno.
Há na Vida dele, uma piratinha que lhe enche a alma e o sorriso. Se já vibrava com o meu filho, ainda mais vibra com a minha filha.
Ao menos com ela tem de se mexer. E muito!
Fica com os dois, sozinho, se for preciso. 
Contrói carrinhos de linhas e rolamentos pacotes de manteiga e volantes de cana para o Manel, faz vestidinhos para as minhas barriguitas e dá à Luisinha.

Enche-se de orgulho com os estes dois netos e sorri, sorri muito.
É stressado, tem medo que a Luisinha se magoe, não deixa o Manel fazer-lhe nada, mas tudo por protecção.

Gosto tanto, tanto de lhe dar abraços, de lhe dar beijinhos, na sua pele sempre suave e macia, com pouquissimas rugas. De lhe dar palmadinha e chamar-lhe velhinho...

O meu paizinho faz hoje 78 anos.

março 25, 2015

Se a Vida te dá limões...

O que é que fazes?

E não vale responder: limonada!

Neve

[Manel - Serra da Estrela - Março 2014]
Voltou lá, como tanto pediu.

Bom dia Alegria!


março 24, 2015

E depois corro, para compensar isto


Mas mesmo assim não chega e eu não sou menina de fechar a boca shame on me

Eu fui

 
 


E tive o privilégio de ver Lisboa assim, de passar a ponte sem ser de carro.
Foi a minha primeira vez, mas quero repetir daqui para a frente.
E um dia, um dia faço a meia!

março 20, 2015

Ontem li um articulo cujo título era: "os pais não sabem brincar".
Aconselho a quem tem filhos a ler. A mim deixou-me a pensar.

http://lifestyle.publico.pt/maeshamuitas/345927_os-pais-nao-sabem-brincar#.VQhfOXBVWZE.facebook

Fui buscá-los ao colégio e fui a remoer as palavras da autora do texto e a pensar no pouco tempo que passo com eles. Do pouco tempo que estou com eles durante a semana, e o qual é aproveitado com e para eles.

Esforço-me para que todos os dias tenhamos mais do que a hora do banho, ou a  hora do jantar juntos e que esse tempo por 20m , 10m que sejam sejam eles a decidir o que fazer.

Sento-me no chão todos os dias. Seja a fazer um puzzle, a jogar dominó, a fazer jogos, a desarrumar o cesto dos brinquedos ou simplesmente a dar-lhe beijos e lambuzá-los.
Muitas vezes com a panela ao lume, com a roupa à espera para ser estendida, com a roupa meio fora, meio dentro da máquina de lavar/secar, com o ferro ligado à espera de dar-lhe uso.

Gosto de estar à altura deles, de ver a Vida do tamanho que eles vêm.
Gosto desse tempo nosso, por vezes tão pouco, mas que tentamos compensar ao fim-de-semana.

Por isso, não entendo, como há pais que nunca o fazem. Nunca.

Não entendo como há meninos que da idade do meu filho não fizeram um puzzle ( ah dizem-me os pais: eles não gostam ou não percebem), não têm um livro e não se lêem histórias antes de dormir (ah dizem-me os pais: não estão habituados ou não ligam a isso), nunca fizeram um bolo ou qualquer outra coisa na cozinha (ah dizem-me os pais: a cozinha isso é para os adultos ou pior ainda, ele é rapaz!)...

Pior, não percebo como há meninos que não vão ao parque, que não saem de casa ao fim-de-semana para apenas apanhar ar, que passam o tempo a ver tv e com um tablet na mão.

Esses pais, são pais orgulhosos. Pois os filhos sabem ir ao youtube, procurar um filme ou uns bonecos que gostam. Que sabem mexer nos telemóveis melhor que eu. Que os usam nos restaurantes enquanto os pais comem uma refeição descansados.

Esses pais são pais que, me dizem que os filhos não falam correctamente, são meio totós e que não são desenvolvidos noutras coisas sim tenho amigos meus a dizer-me isto, que os miúdos só querem ver tv e estar no computador!

A estes pais eu digo: a culpa é vossa, então deram um tablet para as mãos e ainda nem sequer sabia falar!

Desculpem-me pais, mas eu não entendo, não consigo mesmo entender estas vossas prioridades.

Mas como já aqui o disse, cada um educa os filhos como quer e sabe.

Não acredito que façam por mal, que gostem menos dos filhos que eu. Pelo contrário. Apenas acho que não têm paciência eu também há dias que não tenho, não têm tempo eu nunca tenho, não pensaram ainda muito bem nisso. E essas são as vossas prioridades.

Eu prefiro que ele goste e tenha milhentos puzzles e livros, que não ligue nenhuma ao tablet a não ser quando lhe mostramos fotografias. Não me importo que não saiba mexer no telemóvel e que sempre que quer ver alguma coisa no computador, me peça para o ligar.


março 19, 2015

PAI x 365

Lá em casa não temos um PAI perfeito.

Lá em casa há um pai que cuida, dá mimo e protege.

Lá em casa há um pai que joga à bola, ensina rugby, rebola no chão, ensina a fazer as receitas preferidas, leva a concertos, ao cinema e ao parque, arranja a bicicleta, inventa soluções para reparar o brinquedo preferido, lê histórias à noite e inventa outras, dá banho, penteia e seca o cabelo, põe soro no nariz, faz sopa e o jantar, faz sobremesas deliciosas, lava-lhes os dentes, põe creme na cara, arruma o quarto e as estantes cheias de brinquedos, dobra as meias minúsculas e imensas, põe máquina a lavar, roupa a secar, passa a ferro, limpa a casa, prepara as marmitas de manhã, levanta-se de noite para dar leite, colocar uma chucha que caíu ou tapar, leva ao colégio, tem resmas de paciência e muita calma, raras são as vezes que levanta a voz e dá “abraça-monstros” de “partir as costelas”, temos um pai que fica sozinho com os dois na maior, sempre que a mãe vai correr ou ficar um fim-de-semana com as amigas, que está presente nas festas do colégio, que vai a todas as consulta do pediatra, vai às vacinas e cuida deles quando estão doentes...

Lá em casa não temos um PAI perfeito.

Mas temos o melhor PAI que os meus filhos podiam alguma vez na Vida ter.

Feliz dia do Pai


março 18, 2015

março 11, 2015

“Os filhos dos outros, educamos nós bem”

Acho muita piada a este novo conceito de educar os filhos e  de que  todos agora falam: Disciplina Positiva.

Gostava de saber quais são os pais que não gostavam que tudo corresse bem durante o dia. Onde não houvesse birras, bate o pé, choraminguice por tudo e por nada, onde a paciência abundasse tanto como amor que sentimos pelos nossos filhos.

Ah e tal fez uma birra no supermercado, mas a culpa é dos pais, porque que pais conscientes levam os filhos para sítios desses? Bem, digo eu que não entendo nada da matéria, mas apenas pela experiência que tenho como mãe: talvez sejam os pais mais comuns de todos, aqueles que trabalham e estão fora de casa no mínimo 9h por dia, que vão buscar os putos à escola e que pelo caminho têm de ir comprar mantimentos porque as criancinhas precisam de comer. 

Sim, estes pais horríveis que não têm empregada,  sopeira e babá para tratar dos anjinhos:  que lhes vão buscar à escola, lhes dão banho, fazem o jantar e dão de comer aos meninos, brincam com eles e ainda os põe na cama, para que quando os papás cheguem a casa, não hajam birras porque não querem ir embora do colégio, não querem ir tomar banho, não querem jantar e muito menos dormir, quanto mais irem enfiar-se num supermercado cheio de gente e barulho às 19h.

Às vezes leio coisas que me fazem rir na internet. Seja em blogues que até gosto de seguir (cada vez menos confesso), seja em círculos de FB onde não sei como lá estou metida. Leio, porque apesar de tudo ainda há algum conteúdo interessante e as horas no meu trabalho nem sempre são produtiva, confesso. Às vezes apetece-me ir embora, mas como não o posso fazer fisicamente perco o meu tempo nisto.

Bem, estava eu a dizer que me dá vontade de rir. Sim, daquelas mães arrumadinhas que já em tempos falei  aqui. Daquelas mães que apavoradas perguntam como limpar a banheira para poder dar banho ao bebé e de como lidar com uma birra. Gosto ainda mais das respostas: detergente neutro, sabão e água a ferver ou abrir muito os olhos para os assustar, porque uma palmada nunca porque não se educa assim.

No meu tempo e ainda não sou muito carcaça, ai de mim se ousasse levantar um dedo aos meus pais, amigos deles ou fosse mal educada na rua. Ai de mim se não desse um beijinho aos amigos dos meus pais, pois era coisa de gente mal educada.

Agora até se proíbe os miúdos de beijar, porque os germes e tal. Bem, eu não peço aos meus para beijar as pessoas que não conhecem nem que andam a passear na rua. Eles lavam as mãos e eu lavo-lhe a cara e dou banho todos os dias. 

Mas, pergunto eu: que miúdos são estes no futuro? Miúdos que nunca foram contrariados, que nunca foram ao supermercado, que são criados pelas empregadas e que não dão beijos. Onde estão os afectos, a educação pela via da realidade, do respeito mutuo e do aprender a respeitar? Onde está o contacto físico que é tão necessário ao desenvolvimento do ser humano?

Parece que eu não sei mesmo nada.

E como diz um tio meu e sempre em lembro dele em muitas horas críticas:

"Os filhos dos outros, educamos nós bem"

As manhãs nem sempre correm bem

Entre sono, não querer vestir ou comer, muitos são os dias que o meu filho acorda mal disposto, mesmo dormindo 10h seguidas.
Mas depois de bem acordado fica um doce.
Nem sempre é assim e hoje correu tudo muito bem. Mas, quem sofre deste drama pela manhã deixo aqui umas dicas preciosas.

6 estratégias para tornar as manhãs com as crianças mais rápidas
As manhãs começam quase sempre devagar e se envolverem crianças, então mais lentas se podem tornar. Entre levantar, lavar, vestir, tomar o pequeno-almoço e preparar as mochilas, casacos e botas para sair, não são raras as vezes que sai de casa a correr e atrasado, verdade? Aplique estas estratégias para tornar as rotinas matinais lá de casa mais rápidas… e deixe de chegar atrasado à escola e ao trabalho.
  1. Acordar suave. Conhece certamente se a sua criança é uma dorminhoca ou se salta da cama mal avista alguns raios de sol, por isso, acorde-a da forma que ela mais aprecia. Acender a luz repentinamente e puxar os cobertores para trás pode não ser a melhor forma de acordar uma criança, pelo contrário, pode incitar umabirra e atrasar ainda mais a rotina matinal. Levante-se 5 minutos mais cedo e abra a persiana do quarto da criança para ela poder despertar lentamente com a luz natural; se ela adora o seu despertador programem-no em conjunto na noite anterior e atribua-lhe a tarefa de o desligar de manhã; acorde-a com beijinhos e abraços ou coloque a sua música preferida a tocar baixinho. Veja o que funciona melhor!
  2. Planeamento prévio. Existem muitas coisas que podem ser feitas na noite anterior, para evitar atrasos na manhã seguinte. Deixe a mesa posta para o pequeno-almoço, com tudo o que for preciso (tigelas, copos, canecas, pratos, talheres, açúcar, caixas de cereais); escolha a roupa que a criança vai vestir de véspera, deixando tudo junto da sua cama; prepare mochilas e outros sacos que são necessários levar de manhã e coloque tudo à beira da porta de entrada, juntamente com os sapatos e casacos. 
  3. Rotina matinal. Para que os preparativos matinais corram da melhor forma possível e dentro do tempo previsto, é importante manter uma rotina matinal: se é costume a criança levantar-se, vestir-se antes de tomar o pequeno-almoço e só depois lavar os dentes ou vice-versa, mantenha sempre o mesmo sistema. Desta forma, a própria criança saberá exatamente o que tem de fazer e não precisa de si a correr atrás dela.
  4. Jogo do temporizador. As crianças adoram jogos e desafios, por isso, se o seu filho(a) demora uma eternidade a arranjar-se e a tomar o pequeno-almoço de manhã, programe um temporizador (pode ser o da cozinha, por exemplo) e desafie-o a estar pronto antes do tempo terminar.
  5. Televisão desligada. De manhã, há sempre desenhos animados na televisão, o que a torna um íman para as crianças e um dos grandes culpados dos atrasos matinais. Evite ligar a televisão de manhã enquanto a criança se está a vestir e a tomar o pequeno-almoço… se tudo correr conforme o previsto, deixe que a criança veja 5 minutos de televisão enquanto você acaba de se arranjar. Este é ainda um bom incentivo para a criança fazer tudo o que tiver de fazer de manhã, sem birras e sem atrasos.
  6. Espírito de equipa. Saírem de casa a horas e bem-dispostos é a melhor forma de começar mais um dia, por isso, façam por isso enquanto família e sempre com o espírito de equipa presente. Se tudo correu bem, a caminho da escola congratule as crianças por terem conseguido sair de casa a horas e com tudo pronto – diga-lhes que a vossa família é uma excelente equipa. Se, pelo contrário, saíram a correr e atrasados, não deite as culpas para a pequenada, diga-lhes apenas que “amanhã vai correr melhor”.
Artigo daqui: http://pequenada.com/artigos/6-estrategias-para-tornar-manhas-com-criancas-mais-rapidas 


Lá em casa fazemos todos os passos 1,2,3,5 e desejamos sempre cumprir o 6, sempre.
Vou experimentar o ponto 5 e ver se resulta nos dias NIM (não quer comer, quer dormir, não quer vestir, quer vestir deitado, não quer leite, mas quer...)
E vocês como fazem? as manhãs correm sempre bem ou nem por isso?


março 08, 2015

março 07, 2015

[Luisinha - Março 2015]

Adora usar a janela da cozinha para ver a rua.
Dá gritinhos e ri muito.
A minha doce bailarina.

Bom dia Alegria!


O meu filho desenhou-nos:
Ele, eu, com corações gigantes, a relva e uma carrinha para irmos passear, num belo dia de sol.

março 05, 2015

Os dias não chegam para tudo o quero fazer. As horas passam a voar e quando dou por mim são mais que horas para ir dormir, porque amanhã já é outro dia.
Tinha posto na minha agenda que esta semana começava o ginásio. De manhã antes do trabalho ou à noite depois de tratar deles. Nem tenho dado as minhas corridas, que tão bem me fazem.
A semana está a acabar e eu continuo a tentar arranjar tempo para fazer o que quero.

Para quem é mãe, como eu. Para quem trabalha e está fora de casa 9h, como eu. Para quem não tem empregada em casa, como eu já tive e sei o quanto é útil uma ajuda extra. Para quem gosta de comer e reunir a família à mesa na hora de jantar, como eu. Sabe que as horas não esticam e que é difícil conciliar tudo.

Juro que não estou a gastar tempo como limpezas, ok? ando controladíssima e a portar-me muito bem. Vá, um jeito ou outro, o normal para manter as coisas apresentáveis, mas sem o exagero habitual. 
Ando mais simples na escolha das refeições. Os banhos são mais rápidos para que possamos brincar mais tempo. As histórias ao deitar, os mimos, continuam todos lá e isso não abro mão. 
Como também não dispenso as duas páginas que leio antes de me deitar, ou as duas linhas antes que os olhos fechem tal é o peso do cansaço.

Mas agora digam-me como conseguem vocês ter tempo para sentar no sofá, a horas decentes, ir ao ginásio, esticar o cabelo sempre que o lavam e dormir horas suficientes para que no outro dia, não parecerem que foram atropeladas por um camião?

É que eu, ou ando muito desorientada, ou o meu relógio perdeu uma horas pelo caminho.

Nature Is Speaking – Julia Roberts is Mother Nature | Conservation Inter...





[Obrigada amiga Naná]

março 04, 2015

Sabes aquele dia em que acordas atordoada? em que o cérebro está parado e o corpo não responde aos movimentos que se quer fazer?
Aqueles dias em que mal pões os pés no chão pensas que o melhor era nem sair da cama?
E quando o miúdo mal abre os olhos e chama a plenos pulmões MÃAAAAAAAAAAAE! e começa a vomitar, fica branco que nem cal, não responde se lhe está doer alguma coisa e que mesmo assim ficas parada sem acção?

Aqueles dias em que te estás a vestir e o pensamento está nem sei onde, não se encontram as meias que se quer, nem os brincos, nem o cabelo fica de uma forma minimamente aceitável?
Aqueles dias em que se sai de casa com a sensação que falta alguma coisa?
Aqueles dias que se conduz em piloto automático e que ao entregar os miúdos no colégio se pensa: finalmente a viagem curta correu bem e estão entregues e o miúdo começa a vomitar de novo e por milímetros não para cima da irmã , que ao vê-lo assim desata num berreiro e mesmo assim ficas parada e não reages?
Felizmente estavam lá duas educadoras, cada uma encarregou-se de um puto e eu só tive vontade de chorar e desejei que alguém se viesse encarregar de mim.

Sabes estes dias de merda em que devias ter ficado na cama o dia todo?

Pois, eu não gosto nada destes dias. Eu não sou nada assim. Eu sou despachada, rápida no pensamento e nas acções. Eu sou assertiva e não me abato com pouco.
Mas, hoje? hoje estou assim. E já me estou a irritar comigo mesma. Sim, porque antes de cobrar as outros cobro a mim.

março 02, 2015

Bom dia Alegria!

Ando com saudades da família, dos amigos e dos lugares onde cresci. Do cheiro, das cores que fizeram de mim o que hoje sou. 
Ando com saudades de passear pelos lugares de sempre e por estar perto de quem gosto.

Por isso, este fim-de-semana fomos para o lugar de onde sou, recebemos mimos e abraços da família e ainda fui dançar, ouvir uma música e estar em sítios só de crescidos, sem crianças e as obrigações de mãe.

No Domingo de manhã senti-me cansada, ainda mais cansada que nos outros dias, as poucas horas de sono, o cansaço de uma noitada (também não foi assim tão grande - às 3h da manhã estávamos em casa, a comer o meu bolo favorito e a beber chá) à qual já não estou habituada, o cheiro ainda a tabaco no cabelo, deixou-me atordoada quando às 8h tive de me levantar, porque uma bebé pequenina acorda cedo e as obrigações de mãe continuam lá. 

Banhos tomados, boa disposição e rumámos ao mercado, onde se conhecem também os senhores das fruta, o senhor do pão e dos queijos.
Onde se compram vegetais, legumes e frutas dessas mesmas pessoas que se conhece e que se sabe que a produção é deles, saudável e natural. Onde se gasta metade do que num supermercado e onde a qualidade é inquestionável.

 
Vim com o carro cheio de frutas e legumes, de pão e broa fresquinhos, com queijos maravilhosos e ainda peixe para a semana, ovos caseiros (tão grandes que não cabem nas caixas dos que se compram no supermercado), com a barriga cheia de tanto carinho e com as saudades atenuadas, até ao próximo fim-de-semana.
E assim estou pronta para mais uma semana.

E por aí, como foi o vosso fim-de-semana?

fevereiro 28, 2015

Mexerica


Ela abre gaveta, armários, tira tudo para fora, entra lá dentro, espalha as coisas pela casa.
É impossivel viver com todas as gavetas fechadas. Já mudámos coisas de sitio para não partir. Já dissemos não, já se aleijou... mas volta sempre. Não pára.

O irmão nunca, nunca mas nunca fez isto.
Bastava dizer Não!
(apenas fechamos o armário dos detergentes e dos medicamentos, por descargo de consciência e uma vez pediu para ver o que tinha, assim que lhe mostrei e disse que era perigoso a curiosidade desapareceu)

Tenho gavetas desarrumadas, embalagens de gelatina no quarto, caixas de plástico no wc, livros tirados das estantes, rolos de papel higiénico na sanita... a minha filha é um terror!

Nem sempre são iogurtes e papa


Felizmente a minha Luisinha é uma boca santa. 
Até agora come de tudo e não rejeita nada.

Tento não lhe dar muitas coisas artificiais ou não tão naturais, principalmente quando tenho tempo e quando estou por casa. Porque confesso na rua essas coisas são os meus melhores amigos.

Algumas alternativas, são as papas de aveia, onde misturo fruta fresca por exemplo, ou então uma papa de abacate, onde junto ou batata doce cozida, fruta passada ou aveia ou uma banana.. Uma papa com muita imaginação, é isso.

E o que sobra? como eu!

Bom dia Alegria

[morangos, 1/2 abacate, 1/2 pepino, sementes sésamo, leite de amêndoa]

fevereiro 27, 2015

Meter-me na minha Vida

... blá blá blá blá... no carro: e o dia, as actividades, o almoço, isto e aquilo e eis que pergunto:

-Então filho já falaste de ti e de como foi o teu dia, já sei que te portaste bem, certo?
- Sim, mãe. E que mais?
-Então que mais? olha e diz lá à mamã o Pedro Afonso portou-se bem?
- Que tens a ver com isso? isso tenho de contar à mãe dele.


fevereiro 24, 2015

Mini Chef

 
Lá em casa tenho um menino que adora ajudar na cozinha.
O que mais gosta de fazer são bolos e bolachinhas. Um dia pediu para fazer sozinho, queria oferecer aos amiguinhos da escola.
E pôs mãos à obra:


Ficaram deliciosas e ele muito feliz.
Numa Segunda-feira ele fez a festa na escola e os amiguinhos e professoras adoraram.