março 02, 2011

Caso de polícia, ou não.

Imaginem a seguinte situação:

Depois de jantar vão dar uma volta ao Bairro Alto com uns amigos. Estão a andar pelas ruas animadas e têm a infelicidade de chocar com um grupo de meninos (leia-se “meninos bem”) cujo divertimento é espancar quem lhes passa à frente. Um deles, tem uma vara de ferro e vai dando na cabeça de quem quer. Abrindo a tola aos desgraçados, assim como quem não quer a coisa.

Vocês vão com os vossos amigos e para além de ficarem com a cabeça aberta por causa do raio da vara, ainda veêm um amigo a ser espancado, porque tem um ar mais exótico (leia-se um pouco totó, mas ele faz questão). Um dos vossos amigos desata a correr em pânico, e vocês voltam atrás e são também saco de pancada, porque de 2 para uns 10 ainda vai uma ligeira diferença. Para além de umas costelas partidas, cabeça aberta (ah, já tinha dito isto), olhos negros e várias escoriações, ainda vos roubam os telemóveis, carteira... correm, conseguem fugir e procuram um polícia, mas azar dos azares houve nesse momento um tiroteio e todos os polícia estão no local do crime.

O que vos resta? Meterem-se num táxi e ir para o hospital.
Já no hospital veêm um dos agressores a chegar um pouco em mau estado (os polícias tinham-os apanhado um bocado à maus da fita e dado uma pequena lição).

Apresentam queixa e vão à esquadra reconhecer os “bandidos” e invés de os identificarem, tal como vemos nos filmes, por detrás de um espelho/vidro, dão-vos umas revista de BD para cobrirem a cara, com uns buracos para os olhos. Lindo cenário não? Até dava vontade de rir, não fossem as dores pelo corpinho todo.

Vocês, o amigo totó e outras pessoas que também foram espancadas levam o processo para tribunal.. Vão a alguma audições com o juíz. Repetem a história. Passados quase 4 anos os “bandidos” saiem ilibados e vocês? O que acontece? Têm de pagar, cada um, as depesas de tribunal. 500 euros (mais coisa menos coisa). Toma lá e não digas que vais daqui. Quem manda acusar os coitadinhos dos meninos? Tão bonzinhos e inocentes?

Diria eu ao estilo de Fernando Pessa: E ESTA HEIN?

7 comentários:

Rita G. disse...

Realmente só neste país...parece uma anedota! os bandidos ainda se ficam a rir!

cuca disse...

Os agressores deviam ter levado mais porrada da polícia. Sempre ouvi dizer que a base da Democracia era a Justiça mas o caso Armando Vara, BPN, Freeport, Rui Pedro e este caso que tu contaste e tantos outros iguais levam-me a pensar onde está a justiça? Mas a sério que vivemos mesmo numa democracia? Têm a certeza?

Tanita disse...

Rita G.
Era bom que fosse uma anedota mas, infelizmente não é. Caso verídico, verdadeirissimo.

Cuca,
Pois, não entendo mesmo este raio de democracia, esta (in)justiça, estes direitos(ou devo dizer deveres?),este país...

Nokas* disse...

É inacreditável. E imagino o sentido de injustiça para os lesados, que viveram na pele o sofrimento físico e ainda tiveram que arcar com despesas financeiras por tentarem que se faça justiça. Há coisas incompreensíveis mesmo. Nem dá para acreditar.

Tanita disse...

Nokas,
Foi uma injustiça mesmo. Esta história é verídica e aconteceu com o meu cunhado e uns amigos dele.
Agora imagina a revolta que dá?
Bj**

Susana disse...

Tristeza! Sinceramente gostava de dizer que isso só acontece no nosso país mas seria uma grande mentira, aqui aconteceu algo muito semelhante, os bandidos saíram tranquilinhos da vida do tribunal e ainda disseram no jornal que a justiça Suiça é justa (claro!).
Nem quero imaginar o trauma físico e psicológico dessas pessoas injustiçadas. Este mundo anda doido...
Beijocas

Vida nova disse...

E é esta a nossa justiça! Nem consigo imaginar a revolta deles.