maio 03, 2011

Ao apelo da Ni

A Quatro mãos tudo melhor

Apelo ao bom senso em cada um de nós

Por favor, não ofereçam comida a crianças

Toda a gente sabe que não é por mal, que é só por simpatia / cortesia, mas é uma irresponsabilidade. Nunca sabemos se a criança em causa poderá ter alguma restrição. Passa-se com o meu filho, é alérgico ao gluten e à clara de ovo. Estou farta de contar a mesma novela a pessoas que não têm nada a ver com a minha vida, só para justificar o porquê de não deixar o menino comer aquela bolachinha que lhe ofereceram...

É chato para mim, é [muito] perigoso para o meu filho, é desagradável para ambas as partes e podia ser evitado com um pouco de bom senso, apenas

Mesmo antes do meu filho nascer, nunca ofereci uma migalha que fosse a uma criança sem pedir autorização ao pai/mãe [de preferência sem que a criança se aperceba]. E é assim que deve ser. Façam o mesmo, por favor.

E se puderem, ajudem-me a divulgar este apelo. Agradecida.

10 comentários:

Ni! disse...

Ohhhhhhh Tanita,
Muito obrigada. Mesmo.

Leana disse...

Oh meu Deus, e agora, dei por mim a pensar naquele gesto, inconsciente, de abrir um pacotinho de bolachas para o meu filho e oferecer ao menino que está ao lado...

Este texto modificou definitivamente a minha maneira de agir.
Não voltarei a oferecer nada a uma criança (desconhecida) sem antes perguntar se posso.

Obrigada pelo alerta. Valeu!

Bjinhosss

S* disse...

Apelo importante, às vezes uma pessoa faz mal a uma criança por não pensar.

cuca disse...

Olá tanita. Desculpa o testamento mas como eu tenho um problema semelhante não podia deixar de dar aqui o meu testemunho como mãe. Aqui vai:

Como eu a compreendo e era bom que muitas pessoas arrogantes percebessem isso. Chamo-lhes arrogantes porque me enerva profundamente essas pessoas olharem-me com aquele ar do género "Que esquisita que ela é. Agora não quer dar isto e aquilo ao menino". O meu filho tem quase 12 meses e é alérgico à proteína da vaca e, como tal, tenho indicações da pediatra para não dar, por enquanto, leite de vaca puro, ovos, citrinos e frutos secos até fazer análises que provem o contrário, o que acontecerá dentro de um mês. Tem sido muito difícil para mim justificar a outras pessoas para não dar isto ou aquilo ao David. Antes de saber da existência dessa alergia no David eu insisti com leite de vaca em pó, iogurtes naturais e ele vomitava ou aparecia com a boca toda vermelha e depois destas reacções fui aconselhada pela médica a restringir na dieta do meu filho alimentos mais propícios a alergias como sejam leite de vaca puro, ovos e frutos secos. Nunca lhe surgiram manchas no corpo mas mesmo assim todo o cuidado é pouco até ele fazer 18 meses. Possivelmente a alergia dele é muito pequena e até já deve ter desaparecido mas tenho que me precaver até ao resultado das análises. Quanto ao glúten, não parece ser alérgico pois nunca vomitou papas com glúten nem reage mal a bolachas ou pão. Mas por favor, PAREM DE FAZER COMPARAÇOES do género "Ah, mas o meu come. Porque é que não dás ao teu também?" ou "Dá-lhe! Isso não faz mal nenhum." ou ainda "Antigamente, dava-se tudo e toda a gente sobrevivia". Mentira! Antigamente (e não foi assim há tanto tempo), as mulheres tinham muitos filhos e muitos ficavam pelo caminho sobrando outros para criar. Graças a Deus que a medicina avança por alguma razão e é por isso que actualmente, nós mães, somos muito mais cuidadosas. No entanto, a melhor frase para mim é esta: "Não podes seguir à risca tudo o que o médico te diz. O médico sabe lá". Fabuloso! Ainda há pessoas que nos aconselham a não seguir as indicações médicas. Como é que é possível?

Obrigada Tanita.

Ni! disse...

Olá a todas,
Eu sou a autora do post. Depois de o publicar, fiquei a pensar que se calhar tinha sido agressiva demais, mas acreditem que não fui.

Leana,
Depois de ler o teu comentário, percebi que o meu objectivo foi totalmente atingido. Obrigada.

S*,
Obrigada também pelo teu comentário e compreensão.

cuca,
Os meus desejos são de que tudo corra pelo menlhor com o teu bebé. Encontra-se realmente de tudo e sim, nós mães, ficamos com fama de esquisitas. Temos pena ;-)
Boa sorte.

Tanita,
Obrigada por teres divulgado e desculpa a invasão deste teu espaço de comentários, mas eu sei que tu não te importas :)

AVOGI disse...

por uma questão de educação e de saber partilhar dizemos às crianças ( as nossas) para oferecer a bolachinha ao menino que olha insistentemente para o pacote. nao custa nada dizer/alertar a pessoa (adulto ) que diz à criança para oferecer , ninguém adivinha.
kis .=)

Tanita disse...

Ni,
Em primeiro lugar a ti, porque foste a autora do post e porque é um apelo muito importante.
Confesso que também NUNCA me tinha apercebido do mal que muitas vezes cometemos, sem querer.
É também para isto que serve a blogosfera, e não só para revelar modelitos, compras e afins.

Lena,
Tal como tu já o fizeste, eu já o fiz milhentas vezes.

S*,
É mesmo sem pensar.

Cuca,
Não peças desculpa, afinal tens toda a razão (e mesmo que não tivesses podias deixar sempre aqui um testamento :))

AVOGI,
também tem razão, quando oferecemos não é por mal. Está também nas mãos dos pais alertar os outros.

Beijos a todas**

Ni! disse...

AVOGI,
Creio que comecei por dizer que sei que é por cortesia/simpatia. Mas é um mau hábito. Ninguém adivinha, nem tem de adivinhar. Só tem de ser consciente. Mesmo que o meu filho não tivesse uma intolerância alimentar, eu não gostaria que um desconhecido lhe oferecesse o que quer que fosse, sem meu consentimento. E de preferência, este consentimento deve ser pedido sem que a criança se aperceba. Eu tenho a certeza de que nenhuma das pessoas que ofereceu pão/bolachas/bolos ao meu filho até hoje, o fez para o prejudicar, mas é uma situação delicada também para mim, que, enquanto mãe, tenho a responsabilidade de proteger o meu filho. Às páginas tantas, já é difícil reagir com simpatia e não me parece que seja obrigação minha andar com um letreiro ou avisar as pessoas que não conheço e com quem me cruzo nas mais diversas circunstâncias. Tenho pena que haja tanta dificuldade em perceber aquilo que é, afinal, tão simples.
Tanita, desculpa o aluguer do espaço, mais uma vez.

Mary disse...

Concordo a 100%! Nunca se deve oferecer nada a uma criança sem a devida autorização prévia dos pais! Acho que é uma questão de educação e de ter o bom senso de não desautorizar os pais. Nem sequer me tinha passado pela cabeça o problema das alergias e restrições alimentares, o que é mais um motivo de peso para consultar primeiro o pai e mãe da criança.

Vida nova disse...

Como a compreendo. A M. tb é alérgica mas às proteínas do leite de vaca e vivo todos os dias com esse medo. Não posso estar com ela 24h por dia para a proteger.
Por acaso antes dela nascer tb nunca oferecia nada sem perguntar antes.

Cuca eu sou tida por "má" até por família próxima, que insistem em não perceber porque é que a menina não pode comer isto e aquilo, que é paranóia minha. Estou farta de explicar e agora opto por já nem dizer nada. Cansei.

Vou partilhar.
Bjs