agosto 08, 2012

Criar, Inovar, Ir atrás do que realmente se gosta

Cada vez mais me convenço que estou na área errada, gosto do que faço mas não me enche as medidas.Com os tempos que estamos a viver, muitas pessoas dizem-me para me deixar estar, que tenho emprego, ganho bem e saio cedo.(isto claro está depende do ponto de vista)

Mas a minha motivação? a vontade de sair da cama e ir trabalhar, de chegar ao fim do dia com a sensação de que fiz o que realmente gosto?
Só porque a situação económica do país está péssima, tenho que travar os meus sonhos? tenho que me rezignar ao que já tenho? ou tenho de aproveitar a conjectura e lutar por mais?

O mais pode não ser apenas em termos ecómicos. É o mais de mim, mais da minha inteligência, mais empreededorismo e missão cumprida.

Ando a pensar, muito (também o consigo fazer). Ultimamente tenho queimado muitos neurónios porque estou a pressioná-los, estou a pô-los à prova, a apertar-lhes o cinto e quero ver como funcionam sob pressão.

Depois de iniciar a minha pesquisa (que ainda está bem no inicio) descobrir isto e a verdade é apenas uma: Nada se faz bem feito, se não for feito com amor. E já agora dedicação, preserverança, determinação, vontade, desejo, metas.... (podem acrescentar mais alguns)

Partilho 7 lições de ouro de Steve Jobs
Criativo, inovador, perfeccionista ao extremo e com um instinto de marketing digno de um pop-star, cada discurso de Steve Jobs é esperado com o um grande evento de cultura pop. Algumas de suas lições já entraram para a história:

1. “A inovação define líderes e seguidores”


2. “Seja um fanático pela qualidade. A maioria das pessoas não está acostumada a um ambiente onde a excelência é a regra”.

A excelência não admite atalhos. Para alcançá-la, além de estabelecê-la como prioridade, terá que empenhar tempo, talento, habilidades e dinheiro para alcançar aqueles dois passos a mais, que fazem toda a diferença.

3. “A única maneira de fazer um grande trabalho é amar o que você faz. Se você ainda não encontrou o trabalho que preenche seus sonhos, não se acomode. Com todas as forças do seu coração, saberá quando encontrar”.



4. ‘Um conceito do budismo é ‘uma mente aprendiz’. É maravilhoso ter uma mente aprendiz’.

Uma mente aprendiz vê as coisas como são, e num relance pode perceber o significado real de atos e pessoas. Desenvolver uma mente aprendiz inclui observar o mundo e as coisas livre de preconceitos, julgamentos e fórmulas prontas, como uma criança que descobre o ambiente ao seu redor cheio de curiosidade e êxtase.


5. “Eu sou a única pessoa que eu conheço que perdeu 250 MILHÕES DE DÓLARES em um ano. É o tipo de coisa que molda um caráter”.

4 comentários:

Jardim de Algodão Doce disse...

Como te compreendo. Eu acho que o que sentes é o que muita gente sente, eu inclusive. Tens pessoas que vivem não sei quantos anos no mesmo emprego, na mesma mesa, na mesma cadeira a fazer sempre o mesmo. Tens outras que arriscam e procuram o que as faz vibrar. Cada vez mais esta busca pela lenda pessoal é como uma missão para a vida. Ter emprego só não chega, é preciso gostar e sentirmo-nos realizadas com ele. Se isso não acontece, no fim dos dias pensamos que poderia ter sido diferente e que talvez não ousamos por burrice. Eu procuro o meu caminho, sei tanto o que gosto de fazer, o que me preenche mas às vezes acho que não o emprego para mim :) é complexo.

Flor Guerreira disse...

Concordo plenamente com tudo o que dizes...os meus pais queriam que eu fosse para medicina, para seguir o caminho de todos os netos do lado materno dos meus avós...mas eu troquei-lhes as voltas! Estou numa profissão que em ganho menos! Mas gosto muito do que faço...embora ultimamente tenha um bichinho a despertar-me para outra àrea, em que terei de tirar uma licenciatura também, mas que farei mais a título de voluntariado!

Nokas disse...

Sem dúvida que a paixão pelo trabalho é importante!!

Vecas disse...

Conheço bem essas palavras li o livro da vida dele e adorei!