maio 05, 2014

Eu no meu papel de mãe

Falo-vos hoje, como mãe de dois meninos fantásticos, que agradeço à Vida, todos os dias, por mos ter dado.
Falo-vos deste amor imenso que sinto, deste amor incondicional e transcendente que ocupa lugar no meu coração.
Se me perguntarem o que gosto de fazer na vida, ou o que me realiza, digo sem sombra de dúvida que "gosto de ser mãe", sinto que nasci para isso e é este papel que me encaixa na perfeição.

Todos vós que são pais, sabem melhor que eu, o quanto é esgotante e cansativo, por vezes, para não dizer todos os dias, o papel de educar e criar um serezito que nos suga as energias e nos consome a paciência. 
Todos vós que o são, sabem o quanto é de quase desesperar e não me digam que por vezes, não vos passou pela cabeça devolvê-los?? (estou a brincar, claro)
Mas este amor, só o sinto, porque os tenho, aos meus, especiais e diferentes de todos os outros, os únicos que transportam o meu (e do pai) ADN, os queridos filhos que amo de paixão.

Ontem, o meu primeiro dia da mãe a dobrar, senti-me a pessoa mais abençoada do mundo e voltei a agradecer à Vida, mais uma vez e pedi que os protegesse, sempre. 

Desta mãe lamechas e chata, fica apenas mais um agradecimento, a vocês, que estão sempre presentes, e que me seguem por aqui.

3 comentários:

Naná disse...

Tu és das mães mais bonitas que eu tenho o privilégio de conhecer!

Marta disse...

És uma mãe linda com dois filhos lindos. Um beijinho grande para os quatro.

P.A. Santos disse...

E que sejam sempre muito felizes, porque privilegiados já são, com uma mãe babada dessas!
:D