julho 20, 2011

É por isto que este país não anda para a frente

Acabo de ligar para o INE para me ajudarem com uma dúvida que tinha.
A senhora que me atendeu foi tão clara como me dizer: "Azar, é um campo de preenchimento obrigatório, por isso vai ter de o preencher". Certo. Obrigatório. Ok. Mas para além de nós termos de fazer o trabalho deles, vá chamem-me o que quiserem mas é o que acho, têm uma linha de apoio que ser rigorosamente para nada. Disse-me para estimar um valor e "Pronto, já está". Já está uma ova. A dúvida que tinha mantem-se. É por isso que estou a pensar fazer queixa desta funcionária tão competente e acessível, o que acham? devo ou não chatear-me com isto? o problema é que levo os assunto do trabalho demasiado a peito.

7 comentários:

Benedita disse...

Infelizmente, acho que as linhas de apoio ao cliente são uma farsa. É só para parecer que até são muito próximos dos seus clientes...

Eu também me chateava, para ser franca...

Naná disse...

Reclama!
Ultimamente tenho estado a ler reclamações que fizeram sobre o serviço da empresa onde trabalho e cheguei a duas conclusões:
- quem tem razões válidas para reclamar, raramente o faz, mas quando o faz permite detectar falhas importantes e melhorar o serviço;
- quem mais reclama, por norma não tem razão para o fazer...e alegam coisas estapafúrdias!
Se te contasse algumas, ias dar gargalhadas até doer a barriga!

cuca disse...

Avança com a queixa pois o atendimento telefónico de uma empresa seja pública ou privada deve primar pelo profissionalismo, ou seja, o funcionário que te atender deve ser simpático, acessível e responder clara, concreta e objectivamente às questões. A pessoa recebe o seu ordenado para quê? Para não fazer bem o seu trabalho? Faz-me lembrar a trombuda da Segurança Social de Paço D'Arcos. Queria ver o que essas estúpidas fariam se estivessem na minha situação. Até beijavam a mão aos clientes só para não ficarem desempregadas...

Nokas disse...

Enfim, isso parece mentira!! Que gente tão competente!

Art And Life disse...

Tanta gente desempregada que certamente seriam melhores profissionais e tanta gente que devia ficar no desemprego por servirem tão mal quem lhes paga. Nós!

mjoaob disse...

Realmente é do pior. Se anda um pais inteiro a fazer 'fretes' como é que isto avança? Acho que é importante haver freedback de determinados atendimentos mas depois é tanta burocracia q perdemos logo a vontade de 'perder_tempo'. :)

Sara sem Sobrenome disse...

Tu dá-lhes com força. Essa jovem está a ganhar dinheiro para informar as pessoas. Se não informa, tem que dar lugar a outras pessoas mais competentes. Simples.:)